Feeds:
Artigos
Comentários

Digitalizei

Olá! Não sei se alguém realmente vai ler isso, mas se você ainda entra aqui de vez em quando, só para ter certeza que não tem nada novo mesmo e ficar sem entrar por mais 2 meses, aqui está um post novo! Eu, Sabrina, vou compartilhar com vocês as fotos que tiro com minha câmera analógica linda de duas lentes com uma estrelinha na frente. Eu quero deixar claro desde já que os dedos na frente da maioria das fotos não são intencionais, óbvio, no próximo filme irei lembrar de tirar a mão dali, prometo.

O mais legal é que essas fotos são tão únicas e algumas parecem com efeitos prontos, é demais de bacana. Pelo que saquei da ideia toda é que a câmera é ideal para tirar fotos de pessoas, porque tira uma foto depois da outra e junta numa só. Não conseguiu entender? Então, veja que coisa mais legal:

Scan0014

Scan0002

Scan0001

Scan0015

Scan0013

Scan0012

Scan0011

Scan0010

Scan0009

Scan0008

Scan0007

Scan0006

Scan0016

Scan0005

Scan0004

Scan0003

Assim que eu terminar outro filme digitalizo as fotos para postar aqui!

Obs.: Logo posto uma foto da câmera para vocês poderem ver como ela é!

Anúncios

Ande na chuva

Image

Um dia, mais cedo ou mais tarde, você acaba perdendo a fé na humanidade…

Não na humanidade como um todo, porque esta ainda há de prosperar muito até a ruína total, mas sim nas pessoas em particular. Separar e desfazer companhias é o caminho mais óbvio para a “plenitude social”, – e aqui, com plenitude social, me refiro ao conforto entre sua relação consigo mesmo e outras pessoas – tal que anda de mãos dadas com a paz interior, com a autoestima, aceitação própria e até arrisco-me a jogar na mesa: com a felicidade.

Por onde caminham os velhos, bons e aparentemente infinitos amigos? Será que mudaram demais ou se esqueceram de quem realmente eram? Talvez eles nunca mais deem notícias, ou talvez só um email de feliz natal seja suficiente para selar uma velha amizade ano após ano. Pessoalmente, espero que não: ver as estrelas num dia extremamente frio acompanhado de chocolate quente com os bons amigos é o que realmente conta antes do lugar caro que você vai passar as férias.

Dizem que as pessoas crescem, viram adultas e simplesmente esquecem essas coisas, ou, ainda, mesmo que não queiram esquecer, acabam deixando para trás essa parte da vida tão boa apenas para se encaixar nesse modelo tão chato que somos praticamente obrigados a seguir.

Ouça essa chuva, pense no que ela significa. Ande na chuva.

Olhe para você, tão preocupado, com esse olhar tão triste e essa aparência tão cansada. Já tentou fazer hoje aquilo que te assustava na semana passada? Já fez alguma coisa por simples prazer pessoal hoje? Parou pra olhar e refletir a imensidão do Universo e sua insignificância nele?

Ande na chuva, sinta o frio.

Sinta o calor.

Sinta a chuva.

Image

Então fez muito tempo que passou aquele dia que decidimos criar um blog pra falar de assuntos diversos e que fosse super interessante pra gente da nossa idade e ao mesmo tempo tudo fosse criado por nós, todo o conteúdo. Ter um blog é uma coisa bem bacana, escrever pra pessoas que te entendem, que sabem do que você está falando. É legal sim! O retorno então, nem se fala…

Mas nós meio que crescemos, arranjamos outras coisas pra ocupar o tempo, outros interesses, outras metas. Não que eu esteja desfazendo da importância dos blogs e principalmente quando isso é uma profissão, mas o ponto, aqui, é que para nós a coisa toda da vida foi mudando. Lá pelo 3º semestre do 3º ano, maquiagem era coisa completamente superficial e desnecessária; tirar fotos com produção e tudo, só para o catálogo do TCC; pensar na roupa que vai sair – se isso acontecia algum dia – tomava um tempo por demais precioso; a leitura tomou um espaço ainda maior e teve que ser encaixada nos intervalos de tempo livre; os testes culinários de cupcakes e sobremesas diversas tiveram que ser deixados de lado; fazer programinhas de amigas se tornou um tanto raro, até porque a maioria estava no colégio; pensar no vestibular e na apresentação do TCC era bem mais importante do que passar horas lendo sites de moda pra saber o que seria a próxima tendência ou roubar um pouquinho do estilo pessoal de cada garota…

Eu, sinceramente, nunca pensei que ler sobre novos projetos de lei aprovados pelo Congresso seria algo espontâneo, ou que minha página inicial seria o Carta Capital. Eduarda, garanto-lhes, até o segundo ano não sabia que ia estudar Engenharia da Mobilidade.

As pequenas extravagâncias mudaram o sentido, perderam o sentido, porque para nós já não eram as mesmas de dois anos atrás. Mas elas ainda existem. Hoje, olhar para um céu magnífico e cheio de estrelas em uma campo as 2 horas da madrugada é que é uma pequena extravagância que todos deveriam se dar de presente um dia!

Nós andamos ficando mais velhas, mudando de pensamento, de rotina, de sonhos.

2 anos!

Então, no dia de hoje (15 de fevereiro) este blog gracioso, o qual estão lendo agora, está completando dois anos de existência! O que me faz lembrar do momento de sua criação: férias! E pensando agora, parece muito tempo, muito tempo mesmo. E o que fizemos nesse tempo? Jogamos na net nossos simples interesses, nossas estranhas ideias e nossas palavras e fotos de um ponto de vista pessoal. É claro e mais do que óbvio que devemos agradecer aos leitores, porque é sempre muito legal receber um feedback! Vocês não sabem a importância e o quão legal é ter uma troca de informações, afinal os blogs são famosos exatamente por isso! E para esses dois queridos anos, deixamos aqui algumas fotos aleatórias que fizemos, e nunca postamos em nenhum lugar, com nossos próprios dedos e nossa própria produção-seleção-tratamento-edição-finalização,etc.

Aí vão as fotos, esperamos que gostem e sintam-se livres para dizer o que acham 🙂 ImageEduarda sendo graciosa.

ImageAction inspirada em História em Quadrinhos. Link para download 

ImageParede do quarto há um tempo atrás…

ImageDica: como não fazer nitidez em uma foto.

ImageWallpaper de adulto…

ImageFriends 4ever

Imagesunglasses

Imageoficina de bicicletaImagefeel like a lady

Imagesmile – or not

Image

Obs.: o post saiu um pouco atrasado devido ao horário da madrugada.

Image

O livro foi escrito por Stephen Chbosky, traduzido para o Brasil em 2007 e publicado pela editora Rocco. Ele conta, basicamente, fatos da vida de um adolescente chamado Charlie, por meio de cartas que ele mesmo escreve para um leitor desconhecido. Ele passa pelas mais comuns experiências adolescentes, o famoso combo “sexo, drogas e rock’n roll“, e há um foco maior no seu relacionamento com as pessoas em geral.

Se eu posso usar uma palavra pra descrever esse livro é: encantador! 

Na primeira parte do livro não senti muita emoção, estava até meio desapontada, mas quando terminei, foi quando percebi o quanto o livro é bom! E não digo pela escrita maravilhosa do autor, porque ela não é incrivelmente difícil ou muito elaborada e inteligente, mas pela história em si, a descrição que Charlie faz do que acontece na vida dele. Ele fala de uma forma tão doce e ingênua sobre as coisas boas e ruins que acontecem com ele, que no final das contas você é induzido a parar pra pensar como você está agindo com as pessoas.

O jeito como o autor faz com que Charlie “comunique-se” com o leitor é outra maneira de fazer o livro ser agradável, porque é quase como se fizesse quem estar lendo sentir uma certa importância nos acontecimentos e no desabafo de Charlie, sentir-se parte da história dele. Refleti que você precisa ter uma certa percepção das coisas pra entender algumas atitudes dele, pra compreender completamente porque ele age dessa forma e os causadores dos seus problemas.

O livro é incrível, e estou ansiosa pelo filme, com a linda-diva-de-toda-vida Emma Watson. Ah, e eu gostaria de dizer que, por conta da capa do livro ter os atores do filme, eu confundi as personagens, troquei quem era qual entre Patrick, que é, digamos, o melhor amigo e Charlie, e o próprio Charlie. Montei a história toda na minha cabeça com a visão errada do cara que vai fazer o filme! Mas tudo bem, o cérebro se acostuma rápido com as coisas! 

Indico para qualquer pessoa ler, mesmo! Eu vi em algum blog por aí alguém dizendo que a única desvantagem do livro é ele não ser mais longo. O que eu concordo plenamente! E no final das contas, a frase que me deu um tapa na cara quando fechei o livro foi: pra onde foi a sinceridade das pessoas?

 

“- Charlie, a gente aceita o amor que acha que merece.” Bill, professor de inglês de Charlie.

“As coisas mudam. E os amigos partem. E a vida não para para ninguém.” Charlie

 

Sabrina Brun

Image

Férias galera, nada melhor que um filminho!

Assassinato, o filme gira em torno disso. O detetive Chandler Manning está a procura de um assassino muito peculiar, que está cometendo crimes em West Hollywood, o estilo do terrível matador é igual ao do famoso serial killer do século XlX, Jack, o Estripador; este nunca foi pego.

As vítimas, prostitutas, são encontradas na rua, mutiladas e sem os órgãos sexuais. Em determinado momento da história a lista de suspeitos aponta para quatro pessoas, incluindo o detetive Manning, o Sr. e a Sra. Bunting e o inquilino deles, Malcolm (Simon Baker Denny, de The Mentalist).

O filme traz a tona um lado psicológico, em que o telespectador se pergunta se determinado personagem é real ou não, e eles conseguem manter o suspense e deixar a dúvida sobre quem está cometendo os terríveis crimes.

É um suspense que realmente vale investir tempo, (sou suspeita, adoro suspenses com assassinatos). Gostei muito do final, surpreendente e inteligente, não vou dar mais detalhes para não estragar hahaha.

É isso pessoal, uma crítica curta (não quero contar muitos detalhes do filme, melhor vocês assistirem).

Um beijo e até mais,

Eduarda Passos

Efeito Lomo

holga

 A grande maioria das pessoas que gosta de tirar fotos e se interessa por esse universo mágico da fotografia, conhece as câmeras Lomo. Elas são câmeras analógicas muito simpáticas visualmente e têm um resultado final muito peculiar, e esse resultado depende do modelo da câmera e das suas respectivas lentes. Achei num blog muito gracinha, o lomogracinha, um jeito bem fácil de fazer esse efeito nas fotos digitais. Quem tem photoshop em casa e sabe usar, ou manja um pouquinho, é muito fácil, tem uns passos bem explicadinhos. Dêem uma olhada em quão legal as fotos ficam (se clicar na imagem dá pra ver melhor o efeito):

DSC00721

dudss

DSC02714

DSC01385

DSC01350

DSC00962

A belezinha que está abrindo o post é uma Holga, e ela faz mais ou menos o efeito dessas fotos. E cada vez a desejo mais… hahaha

Espero que tenham gostado e tentem nos seus photoshops da vida, beijos, até mais.

Sabrina Brun